Carta de intenções e outras dicas para o visto australiano

Estudo Publicado em: 13/03/2017

 

Em 2016, o visto australiano teve algumas alterações e sua solicitação passou a ser inteiramente online. Caso esteja seguro, você pode optar por fazer o pedido sozinho ou contratar uma agência para te ajudar no processo. Caso opte pela segunda opção, o seu trabalho será reunir a documentação necessária.

Para aumentar suas chances de conseguir o visto, você deve caprichar nestes três pilares: carta de intenção, comprovação financeira e questionários de informações pessoais.

 

Letter of Intent (Carta de Intenções)

 

Uma vez que não há encontro “face to face” com os oficiais, o Departamento de Imigração tem dado cada vez mais importância a carta de intenções. É através dela que você irá defender suas razões para querer ir a Austrália e provar ter motivos suficientes para voltar ao Brasil depois de finalizar os estudos.

A carta pode ser digitada, mas deve conter sua assinatura no final. Confira algumas dicas para uma carta de intenções bem elaborada:

 

1) Faça um primeiro parágrafo com os seus dados pessoais, como: nome completo, estado civil, endereço, número do passaporte, filiação, período em que pretende ficar na Austrália e em qual escola vai estudar.

2) Conte um pouco da sua história de forma clara, direta e honesta. Para facilitar o processo de escrita, você pode dividir em três partes: apresentar sua área de formação e carreira; mostrar vínculos familiares, de trabalho, estudo ou quaisquer outros motivos para que o retorno ao Brasil seja algo garantido; contar porque a experiência na Austrália vai te ajudar pessoal / profissionalmente e porque o país foi escolhido.

3) Seja formal! Lembre-se de que a embaixada australiana é um órgão importante e você está solicitando autorização para entrar no país deles.

4) Caso não esteja tão seguro com o seu inglês, nada de pagar mico com tradutor online, hein? Os apps costumam traduzir palavra por palavra, o que nem sempre dá certo. Peça ajuda a algum familiar, amigo ou professor que tenha bom conhecimento do idioma.

5) Não utilize modelos para escrever a carta. Ela deve ser pessoal e conter a sua história.

6) NÃO MINTA! Todas as informações descritas na carta devem ser comprovadas via documentação. Informações mentirosas ou pouco consistentes podem ser garantia de visto negado.

 

Dicas sobre o restante da documentação:

 

• Caso você seja freelancer ou não tenha renda fixa mensal, procure alguém para te dar suporte financeiro. Muita gente acha que a comprovação de $1.650,00 dólares australianos por mês de permanência pode ser certamente comprovado com uma conta poupança de R$ 100 mil reais, mas não. Você precisa comprovar ter uma renda mensal fixa. Peça para que sua mãe, pai ou alguém a sua escolha te ajude sendo custeador, mesmo que quem vá arcar com as despesas na prática seja você.

• O departamento de imigração investiga todas as informações, por isso, preencha os formulários com muita cautela e honestidade, para não haver dados divergentes, o que é considerado uma falta grave.

• Se esforce ao máximo para comprovar seus vínculos com o Brasil. Mostre que você tem razões para voltar, sejam elas família, empresa ou terminar algum estudo. Conte seus planos de retorno ao Brasil.

 

Leia também: Documentação necessária para o visto australiano

 

 


Comentários

Leia Também

Gírias, expressões e dicas do inglês australiano

Leia o artigo completo.


O que estudar na Austrália?

Leia o artigo completo.


5 destinos baratos para estudar inglês

Leia o artigo completo.



Facebook

Instagram

Categorias